“OXE, ME DEIXE”: UM GRITO FEMINISTA – Luzia Moraes

A cantora e compositora santamarense Lívia Milena inova mais uma vez no vídeo clipe do single “Oxe, me deixe”, a ser lançado nesta sexta-feira, 29 de janeiro.
Lívia, que tem dois álbuns bem conceituais gravados e disponíveis nas plataformas digitais,  Olhos de Pagu – que traz um painel rítmico variado integrado pela temática da condição feminina que permeia todas as canções,  revelando também um time de compositores baianos da cena contemporânea – e o segundo, Valsas Morenas – que traz em canções densas um percurso do ritmo vienense e a sua fusão com a brasilidade num recorte significativo da parceria do músico Márcio Valverde com o poeta Nélio Rosa.
Agora, nesse período em que a necessidade de distanciamento social causado pela pandemia de covid-19 se irmana ao recrudescimento da violência contra a mulher  evidenciada pelo aumento alarmante do feminicídio, exatamente neste momento, Lívia nos socorre com uma balada crua, cujo ritmo envolvente flerta com o samba rock e o rap e a letra desconcertante escancara versos tais como “Tá pensando que eu sou fraca por que eu sou mulher?” ou “Sou capaz de fazer de salto alto tudo que cê faz!” pra estimular a reação feminista e fortalecer a autoestima de todas as mulheres.
Esse todo, que reafirma e celebra a diversidade e a pluralidade femininas, dão o tom do videoclipe gravado em plena praça da Purificação, no centro de sua cidade natal em que Lívia divide a polifonia da canção com representantes de diferentes identidades femininas: de sambadeiras a atletas de arte marcial, dançarinas profissionais, artista transperformer, adolescentes, meninas e anciãs, que se revesam em cena.
Luzia Moraes é produtora cultural e colunista Café com Shah
0 0 votes
Avaliação do artigo
Sobre Shah Moises 1988 Artigos
Cineasta, editor, e produtor cultural.
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments