50 anos da Festa de Iemanjá de Dona Lindaura de Arembepe. – Branca Patrícia Vieira Lima

O mar serenou e ela não mais pisaria na areia. E ela não mais mergulharia no mar. E ela, NÃO mais...

Iniciado em 02 de fevereiro de 1972 por D. Lindaura Franco Souza, Tia Lindaura como carinhosamente era conhecida, os festejos à Rainha do Mar, Iemanjá.

 

Dona Lindaura nasceu em Catu- BA,  morou no Rio Vermelho- SSA por vários anos alternando com a sua moradia também em Arembepe.

 

Por 43 anos ininterruptos, cultuou essa tradição de fé e devoção a Iemanjá e Marujo unida ao seu marido Eduardo de Souza, aos pescadores e praticamente toda comunidade local.

 

No ano de 2015 Tia Lindaura,  já com 82 anos, um pouco debilitada de suas funções físicas por conta da idade, solicitou de sua afilhada e prima Dona Bete, suas sobrinhas Rosana, Reijane e Viviane, que não deixassem morrer a tradição de fé e devoção ao mar pois,  já não mais podia dar  continuidade com outrora. E que todas estavam preparadas a continuar.

Assim, o seu pedido foi atendido e unidas à comunidade e amigos,  apoiados pela PMC (Prefeitura Municipal de Camaçari) através da Secretaria de Cultura (SECULT), na pesssoa da Senhora Branca Patrícia então secretária na época, o Projeto TAMAR e a Colônia Z- 14, foi  formada uma comissão organizadora afim de realizar o tradicional festejo e  responsabilizar-se pelo evento, a partir de então.

Composta por Dona Bete, Rosana Almeida, Reijane Souza, Branca Patrícia, Marquinhos da peixaria, Guri pescador, Mestre Bobô Abolição, Mestre Orelha, Vitor da Cocobeira, Jorge Copque, Robson Almeida, e Viviane Souza. Assim foi feito, juntamente com várias outras pessoas parceiras, colaboradoras e de devoção fervorosa,  fortalecemos a união com um objetivo em comum: O legado de Dona Lindaura.

Naquele ano, vimos em Tia Lindaura, a felicidade de saber que seus ensinamentos seriam perpetuados, que manteríamos viva à sua crença, seus ensinamentos, sua história.

 

Foi um ano diferente!

Infelizmente, NAQUELE ano de 2015, exatamente no dia 10 de novembro, Lindaura desencarnou. Um dia pra ficar na história,  na memória.

 

Para TODOS uma surpresa!

O luto tomou conta da nossa comunidade.

O silêncio ecoou!

O mar serenou e ela não mais pisaria na areia.

E ela não mais mergulharia no mar.

E ela, NÃO mais…

Pois, foi no mar que ela no deixou!?

Foi no mar que ela se foi!?

Afogada! Assim ela se despedia de nós.

Encerrou sua missão aqui no plano terreno.

Cultuando e seguindo o seu legado de paz, de fé  e de amor para que todos abram seus caminhos, a tradição continua.

E que assim seja!

Odoyá

 

Este ano o presente completa 50 anos. Este ano, mais um ano que não teremos o tradicional cortejo: gente de todo canto e de todo encanto. “Aquela multidão “alvo e azul”, aquele cheiro de alfazema circulando os quatro cantos de Arembepe, aquela procissão de barcos colorindo a linha do Equador, aquele ” Acorda Maria Bonita”, hoje chora pois as “Marias” não podem sair de suas casas. Muitas ” Marias” se foram,  muitas “Marias” recolhem-se temerosas a uma pandemia que não passa. “Acorda Maria Bonita” o dia vai raiar,  a luz do sol vai brilhar e Ela, Iemanjá reinará.

 

O 2022, é regido por  Ela. Ela que canta e encanta, há de nos abençoar. E que assim:

Êta marujada!

Hoje, seguimos com a comissão organizadora e todos os parceiros de sempre.A prefeitura Municipal de Camaçari continua nos ajudando através da Coordenação de Eventos na pessoa do Sr°Luiz Mário.

 

50 anos da Festa de Iemanjá de Dona Lindaura de Arembepe.

Um brinde a devoção.

Ao amor

A União

A compreensão

A humildade

A paz

A saude

À fé nas Águas que  caminham para o mar.

A Marujo e Iemanjá.

 

Gratidão Dona Lindaura ?

Branca Patrícia Vieira Lima

Comissão organizadora do Presente de Iemanjá de Dona Lindaura de Arembepe.

0 0 votes
Avaliação do artigo
Sobre Shah Moises 1988 Artigos
Cineasta, editor, e produtor cultural.
Subscribe
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments